As polêmicas nádegas

Lembro bem da minha reação quando o Mikko disse que era finlandês. Falei “uau, que legal”, sorri enquanto minha cabeça tentava localizar o país no mapa múndi. Eu, que sou toda sabixona, não podia jamais dizer a ele que não sabia onde ficava esse país. Foi nesse momento que me odiei por não me dedicar o suficiente às aulas de geografia do ensino fundamental quando o professor pedia que desenhássemos mapas (teve mapa de tudo, de continentes, de relevo, de rios, de clima…). Eu acho que ele ficou supreso por eu não ter feito nenhuma pergunta sobre o país, mal sabia ele que eu não perguntei nada porque não sabia o que perguntar, até aquele momento eu nem sabia que existia um país no mundo chamado Finlândia!

O que me confortou foi ouvir perguntas do estilo “vocês surfam na Finlândia?” e experiências como “eu adoraria conhecer a Finlândia, só conheço a Austrália” sendo compartilhadas, eu não era a única perdida! Um dia o Mikko foi na minha casa e a primeira coisa que ele viu foi um alce de pelúcia com uma bandeira na barriga, com os olhos brilhando ele exclamou “você tem a bandeira da Finlândia na sua casa!” eu aproveitei a deixa para jogar um charme “viu, essa é a prova que fomos feitos um para o outro!” (as vezes eu sou muito galanteadora, né!?).

A minha sorte, e a de todos os meus amigos perdidos, é que ele quis nos apresentar o país e a cultura dele com muito carinho. Foram balas de salmiakki, pullas caseiros e vários almoços/jantares com menus finlandeses. A resposta da pergunta que está sondando vocês é: batata. Os finlandeses comem batata. (Vou aproveitar para passar uma receita. Faz um purê de batatas, cuidado para não deixá-lo muito mole. Coloca o purê em uma travessa. Pega algumas salsichas, faz um corte no meio dela e coloca queijo. Coloque as salsichas com queijo em cima do purê. Leve a travessa no forno, quando o queijo derreter está pronto. Bom apetite! Essa receita é boa quando sobra muito purê do dia anterior).

Meu amigo uma vez perguntou se era verdade que os finlandeses corriam pelados na floresta, e é verdade. Quer dizer, mais ou menos. Eles correm pelados quando saem da sauna e geralmente é para pular no rio. Aqui é comum você contar seus segredos, fofocar e dar boas risadas pelado com os amigos. Algo que é completamente assustador para nós brasileiros. Não faz muito tempo eu fui nadar em uma piscina pública, coloquei o maiô e fui tomar uma ducha antes de ir para a água quando me deparei com placas avisando que era proibido tomar banho de roupa, e os chuveiros não eram divididos por cabines, eu teria que ficar peladinha da silva na frente de um monte de mulheres que eu jamais havia visto na vida. Fiquei. Alguns dias depois fomos passar o feriado na casa de uma tia do Mikko, chegou o momento da sauna e fomos divididos em dois grupos: homens e mulheres, o que significava que eu teria que ir para a sauna com a prima e a tia do Mikko, além da minha sogra. Mas eu ainda não estava (e não estou) preparada para ver minha sogra sem roupa. Todos entenderam que seria um choque cultural muito forte ver um monte de gente pelada ao mesmo tempo, deram boas risadas, mas não insistiram.

Fui polpada de ver várias bundas, menos a bunda do Rodrigo Lombardi. Mesmo estando a 12 mil km de distância e não assistindo canais da televisão brasileira, eu vi a bunda dele. Não só a dele, mas a da Paolla Oliveira também. E vi também o escândalo que essas duas bundas causaram. Mulheres chocadas com o fato de seus maridos/namorados/companheiros estavam vendo uma bunda de mulher ao lado delas, famílias horrorizadas com seus filhos pequenos descobrindo que pessoas tem bunda e maridos/namorados/companheiros escrevendo textos (completamente machistas) sobre como não se admiraram com a bunda da atriz (me poupem, até eu me admirei, queria eu ter um bumbum bonitinho igual ao dela) porque na verdade eles admiram as mulheres escravas que eles tem em casa, que fazem o jantar, lavam a louça, limpam a casa, lavam a roupa enquanto eles sentam no sofá e assistem a novela.

Já o bumbum do Lombardi não causou tanta revolta, na verdade trouxe uma alegria imensa, li em um blog que essa cena da novela não é um avanço contra a objetificação da mulher e que esse bumbum deveria ser tombado como patrimônio da humanidade (é sério isso, gente?). A verdade é que ele emagreceu 14 kg e fez treinos de jiujitsu para ficar com essa bundinha sexy. Enquanto aí no Brasil, vocês enlouquecem com esses bumbuns malhados e preparados para serem mostrados à todos, eu fico aqui na Finlândia me preparando para o dia que não terei mais desculpas para não querer ir à sauna com minha sogra.

Texto publicado em 11/06/2015

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s