Juhannus – a festa da noite sem noite

Meia noite e meia
Vocês já passaram pela situação de ter vivido algo muito legal e no momento em que você tenta contar sobre isso aos outros simplesmente não consegue? Aquilo que te fez rir tanto não fez nem cócegas no ouvido do interlocutor. Os motivos de choro não chegam nem perto de comover o outro. E aí você começa a desconfiar que talvez esteja exagerando e que a tua memória não foi tão emocionante assim. É isso que está acontecendo comigo nesse exato momento. Sento para escrever, escrevo, releio e apago tudo. Coloquei músicas (até com Sandy e Júnior eu tentei!), o máximo que consegui foi relembrar e cantar todas as músicas do cd MTV Unplugged. Andei de bicicleta, ouvi os passarinhos cantando e o rio correndo. Até inventar uma memória nova eu tentei!
Nossa fogueira (kokko)

Desde que cheguei na Finlândia me perco nas horas e não sei quando termina o dia e começa a noite. Fotografo o céu e envio a foto aos meus amigos dizendo “tirei agora e são 23 horas”!  Vi incontáveis pôr do sol e o mesmo número de nascer, tudo com uma hora de diferença entre eles. O excesso de luz nessa época do ano é tão maravilhoso que o povo antigo o festejava. Próximo ao solstício de verão acendiam fogueiras para agradecer o sol e espantar os espíritos ruins que ficavam por aqui durante o escuro inverno e faziam oferendas para garantir boa colheita e fertilidade, essa era também a melhor época para realizar feitiços e simpatias. Quando os católicos chegaram impondo sua religião sobre os povos que aqui viviam tentaram proibir que a adoração ao sol continuasse, fracassaram. Transformaram a festa pagã em festa católica, dedicaram as fogueiras, que espantavam espíritos, ao homem que batizou Jesus Cristo e lhe deram um nome Juhannus (o equivalente a João). Como dizem quem não tem cão caça com gato e é isso que os finlandeses fazem até hoje, celebram João Batista com os costumes que os antigos foram transmitindo de geração em geração.

Churrasco e Koivu

Depois de assistir ao filme A Proposta coloquei na lista de desejos vivenciar a magia de ver o sol não se pôr, de ter 48 horas de sol, de precisar usar uma máscara para dormir e reclamar que a cortina não bloqueava a luz totalmente. Já estava quase modificando o desejo para “vivenciar mais de 24 de luz/ sem necessariamente ter sol” quando começaram as preparações para o feriado mais importante do país, o Juhannuspäivä. Nós colhemos galhos para montar nossa fogueira, colocamos também caixas, papéis e até sapatos que além de não servirem mais estavam muito feios para serem doados, queimar coisas velhas renova as energias. Fomos no mercado e compramos várias carnes, salsichas e cerveja pois durante o feriado, que se iniciou na sexta dia 19 e terminou no domingo 21, o mercado fecha. Plantei flores e as coloquei do lado de fora da casa e meu sogro plantou três árvores (essa que está atrás da churrasqueira), duas em frente ao portão e outra ao lado da sauna. As árvores, Koivu, eram usadas antigamente em rituais de purificação e hoje são plantadas em frente a porta para dar boas vindas às visitas e seus galhos são usados na sauna para ativar a circulação (você usa os galhos para bater em você quando a fumaça sobe, onde o koivu bate esquenta bastante). Depois do verão as árvores e as flores são retiradas.

Chegou o tão esperado dia! Estradas lotadas, quem mora na cidade está viajando para o campo, passarão o feriado em suas mökki próximo à natureza e na beira de um rio ou lago, nós como moramos na beira de um rio ficamos em casa. Para almoçar churrasco, na parte da tarde tomar sol (finalmente está esquentando), jogar mölkky e kroketti, ir para a sauna e nadar no rio. Meia noite está chegando, já podemos nos reunir em volta da fogueira e acende-la! Fomos de barco olhar as fogueiras dos vizinhos, a costa está cheia de fogueiras dos dois lados, mágico! Estão todos acordados, com suas fogueiras acessas esperando para ver o sol se aproximar da costa e voltar a nascer, todos emocionados de poder celebrar o sol e a vida que ele traz. Ninguém lembra que é para orar por São João, hoje é dia de agradecer ao sol por aquecer a terra depois de quase oito meses de frio, por permitir que as plantações cresçam e as flores floresçam. E será assim por uma semana, durante uma semana o sol não irá se pôr, ficará sempre aqui para nos lembrar que depois da escuridão o sol sempre aparece! Agora sim posso dizer que mais um dos meus sonhos foi realizado e continua se realizando todos os dias!

3h da manhã

Texto publicado no meu antigo blog. Meu primeiro Juhannus em 2015!

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s